.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009
DISCOVERYLAND

Uma parte significativa dos portugueses, face a tantas suspeições sobre isto, sobre aquilo e sobre os inimagináveis desenrolares que diariamente se vão abatendo sobre tudo e sobre todos os intervenientes da vida política nacional (alguns, se calhar, que nem lhes passam pela cabeça), por certo já terão deixado cair os braços sobre as expectativas criadas no surgimento de uma nova mentalidade e forma de estar por parte de todo este acervo que definitivamente terá futuro, efectivamente... nas páginas de uma qualquer "estória" de duvidosa banda desenhada! Assim (e cada vez mais) entre o estar a emoldurar a "Main Street" na grandiosidade da DisneyWorld Paris (por exemplo), assistindo ao desfile de Minies, Plutos, Mickeys e Brancas de Neve, ou estar no remedeio contrafeito da "Fantasiland" tuga a assistir à parada quase diária das dúvidas do "nosso" excelentíssimo presidente, das campanhas negras do "nosso" magnificente e altaneiro engenheiro, dos gestos e das gafes dos "nossos" eminentes personagens em quem o último confia a administração dos "galhos" da coisa pública e de mais uma miríade de pomposos e obedientes pajens que cumprem zelosa e ordeiramente os caprichos de todos os outros... o espectáculo animado, bem musicado e colorido é (tendo em conta a devida proporcionalidade entre a área dos dois "parques" temáticos) praticamente a mesma coisa!

Talvez por tudo isto é que essa parte significativa dos portugueses se vai cada vez mais abstraindo de toda esta triste realidade virando-se para a "parada" da "Discoveryland" onde se podem imaginar a viver num País justo, moderno, desenvolvido e incentivador... onde não pululem "Irmãos Metralha" ou outros que tais concebidos à imagem destes (sic)!

publicado por A. Carvalho às 18:00
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009
DE ÂNIMO LEVE

É necessário padecer de uma preocupante presbiopia para alguém, com elevada responsabilidade, vir dizer aos portugueses que "é necessário muito ânimo" para o País ultrapassar mais uma pouca-vergonha que os mesmos de sempre decidiram (outra vez?) protagonizar! Será que determinadas personalidades ainda não deram conta que o problema não está no muito ou pouco ânimo do paciente "rebanho" mas sim nos "pastores" que durante trinta e tal anos não souberam escolher os caminhos para os verdejantes "pastos" do bem-estar político, económico e social do "zé-pagante", porque envolvidos em mil e uma "ordenhas" que tiveram e tem, para além de muitas outras consequências, a descredibilização de uma fundamental máquina judicial que hoje mais parece um helvético "Emmental"? Uma vez mais, ao invés de se exigir uma séria e honrada conduta a todos aqueles que exercem cargos públicos e a célere aplicação da Justiça a quem por ela é responsável, opta-se pelo enraizado facilitismo do atirar grãos de areia para os olhos de todos, enquanto se espera que o tempo cumpra o seu providencial papel como meio privilegiado para atingir a "costumeira" declaração da virginal inocência. É inqualificável o acto de se continuar a sacrificar os "cordeiros" de sempre em benefício das saturadas "febres endémicas" do costume, mas pronto: para todos ficarmos bem na fotografia, vamos tomar de ânimo leve o ânimo pedido por sua Excelência o Presidente da República, relembrando-lhe que o País até tem tido demasiada disposição, excessivo sentido de humor e exagerada coragem para continuar a aturar toda uma trupe de prepotentes, adulterados e mal agradecidos "gestores"... e se é chegada a hora de pedir alguma coisa a alguém, que o peça a todos aqueles que tem infernizado e descredibilizado o pouco de bom que ainda, timidamente, vai sobrevivendo na sociedade: a esperança num Portugal melhor!

publicado por A. Carvalho às 17:48
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Novembro de 2009
RENOVAR COMO?

Seguindo a linha de pensamento de Henrique Medina Carreira, segundo a qual, face à ignorância dos actuais "actores", é urgente e necessária uma "fornada" de novos intervenientes no palco do "teatro da gestão nacional" com uma visão séria do presente e um concreto objectivo de futuro, acabamos por ser confrontados, inevitavelmente, com a interrogação sobre a forma como o Pais e os portugueses poderiam concretizar, afinal, tão cada vez mais abrangente e necessária vontade! Se a Justiça funcionasse, a renovação surgiria de uma forma natural, se calhar até por demais acelerada, diga-se de passagem e com alguma ironia, mas como não funciona nem se vislumbra no horizonte qualquer hipótese de tal vir a acontecer, não valerá a pena bater mais na "coisa", antes reduzi-la à inconsequência do facto que ela é. Por outro lado, e talvez o mais lógico, seria a mesma surgir por recriação das "companhias", mas como estas também não se regem, internamente, pelos mais basilares princípios da democracia, (nem se denotam prenúncios de que tal venha também a acontecer) não valerá a pena criar expectativas de onde, aliás, elas quase nunca vieram! Portanto, bem pode o "zé-povinho" ir mandando uns "bitaites" com mais ou menos descontentamento, revolta ou saturação (o abstencionismo eleitoral, o folclore "manifestatório" ou outra qualquer vingançazinha sobre a “geringonça” fiscal, por exemplo) que a coisa tende a arrastar-se, indefinidamente, até não se sabe muito bem quando. Assim, sem renovações e face ao triste “espectáculo” que para aí vai, resta aos portugueses, conscientes, o supremo prazer de se fazerem passar por idiotas (embora inteligentes) diante de uns… incapazes coordenadores de ideias e programas que a todo o momento se tentam passar por habilidosos eruditos (sic)!

publicado por A. Carvalho às 21:06
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Novembro de 2009
A FACE VISÍVEL

Quando o País pensava que tinha uma estrutura moderna e "tecnologicamente" avançada em matéria de corrupção, ombreando de igual para igual com muitas outras grandes "potências" na matéria, eis que surge, como uma pedrada no charco, a "face oculta" de muitas conhecidas faces do panorama público nacional (e não só) associadas, pasme-se, a um bondoso, subtil e paciente negociante de ferro velho! Até nisto somos pequenos, sem ambição e sem a tão necessária visão de futuro que deveria estar alicerçada em "adamastoras" depravações e em "agigantados" subornos que não nos fizessem corar de vergonha, quer pela sua pequenez quer pelo ridículo da "coisa" que está na sua génese. E esta pequenez é de tal forma preocupante que até um antigo Procurador-geral da República teve necessidade de vir a terreiro lembrar que "afinal de contas a corrupção faz parte das sociedades desenvolvidos e Portugal não é, nem de perto nem de longe, um caso dos piores" (disse), pelo que daí se depreende que à que apostar convictamente e em força em tal "mercado" (sic)! Assim, ao invés de se criticar a conduta do Senhor Godinho, melhor seria era apoiá-la para que num curto espaço de tempo a sua pequena "lula" se transformasse num grande, imenso e infinito "polvo" capaz de ombrear com os maiores de que há história. Enfim: o caso não é para rir e como não é para rir... sejamos sérios! Ninguém é perfeito mas daí ao País ter de andar constantemente a ser confrontado, a toda a hora e a todo instante, com tanta imperfeição vinda sobretudo de todos aqueles que deviam ser impolutos exemplos de boas regras e maneiras, já é um tanto ou quanto saturante, não por eles, mas pelo descrédito cada vez mais alarmante da face visível da Justiça portuguesa... ela feita, sim, num gigantesco e confuso amontoado de inconsequente "sucata" legislativa!

publicado por A. Carvalho às 18:16
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009
OS HOMENS DA LUTA

Com a passagem à história da tomada de posse do XVIII Governo Constitucional, integrado pelos "Homens da Luta" de sempre, fica para a posteridade, apenas e só, o facto do anormal número de "espartanas" mulheres que os acompanham e das quais se espera (haja pelo menos esperança) uma lufada de ar fresco que faça esquecer os "pátuás" de ocasião dos muitos "Jels" e outros tantos "Falâncios" que há mais de trinta e tal anos a esta parte tem azucrinado, e de que maneira, os ouvidos e a paciência de toda a "populaça" da Nação. Depois de o Palácio da Ajuda (ironicamente ou não, sob as nuvens densas que adornam o "fresco" da abóbada da sua grande sala circular) ter servido de testemunha solene aos votos de lealdade por todos assumidos, resta ao País fazer por acreditar que é desta que qualquer "coisa" de positivo dali vai surgir, seja o bem-estar social e económico do "zé-povinho" seja (e já não seria pouco, saliente-se) a tão necessária credibilização de todo um sistema político e judicial que num constante crescendo de "faces ocultas" se vai arrastando, penosamente, pelas tristes ruas da angústia e do azedume. No entanto e levando à letra o ditado popular que "o que nasce torto tarde ou nunca se endireita", há que registar a postura de tal cerimónia ter sido fechada ao comum dos mortais (afinal de contas a razão de ser do ritual) o que à partida não deixa de ser um péssimo sinal de desconfiança e descrédito (sobre aquele grupo de bem parecidos funcionários públicos) por parte do tão martirizado e esquecido "zé-povinho". Enfim: pessimismos à parte vamos acreditar que todos estes ministros e ministras que agora subiram ao "poleiro", não tem outro intuito se não o de nos estenderem a mão... e fazer figas para não chegarmos à conclusão, “muí” brevemente, que não passavam todos, afinal, de mais uns ilustres "manetas" (sic)!

publicado por A. Carvalho às 18:34
link do post | comentar | favorito
.as minhas fotos