.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008
CAPACIDADE DE SINTESE

A exemplo do que se houve aos moderadores de alguns "fóruns" radiofónicos, quase apetece pedir aos nossos políticos que tenham um bocadinho de capacidade de síntese, uma vez que há muitos cidadãos que... já não suportam as excessivas divagações sobre assuntos que já deveriam estar arrumados há muito (sic)! Olhe-se para o tempo que o Governo já perdeu com os professores sem que até ao momento tenha surgido algo de concreto! Veja-se a morosa reforma da Saúde, mais casa mortuária que outra coisa (já com um Ministro cadáver), que ainda não fez sentir na pele dos cidadãos relevantes melhorias? E os "ziguezagues" na Justiça, outro pilar fundamental da credibilidade de um Estado de Direito? Sobre esta "injustiça" são elucidativas as interrogações de Pinto Monteiro sobre a data das alegações finais do Caso Casa Pia: "Dia 24 de quê? 2010, 2011? Eu já deixei de perguntar porque já nem acredito." Posto isto e face ao "inconcreto" dos resultados visíveis... a Dr.ª. Manuela não deixa de ter uma certa razão(!) quando afirma que a democracia devia ser suspensa por 6 meses pelo motivo de ainda existirem "corporações" que não convivem da melhor maneira com as reformas que se tentam realizar num Estado de Direito, porque "Quando não se está em democracia é outra conversa, eu digo como é que é e faz-se"! E a ser assim... de entre "Os Grandes Portugueses", o Dr. António de Oliveira (o maior), apenas perderia meia dúzia de dias para reformar o Sistema Educativo, Judicial e de Saúde e aproveitaria o restante tempo para resolver outros imensos assuntos que se vão arrastando penosamente pela falta de capacidade de síntese dos "manda-chuva" de todos os quadrantes políticos da actualidade ! Sem ironias e "A bem da Nação"... no meio de todo este "carnaval" deve ser mesmo o que Portugal está a pedir (sic)!

publicado por A. Carvalho às 19:18
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008
O TAMANHO DA "COISA"

Se a razão dos cidadãos fosse proporcional aos pequenos ou aos grandes ajuntamentos que à roda deles conseguem aglutinar, a sociedade estaria reduzida a meia dúzia de ignóbeis ideais comungados por um quarteirão de incongruentes incontinentes. Mas, como grande parte dos ditos ainda vai beneficiando de uma saudável faculdade de raciocínio, o número residual daqueles para quem o tamanho da "coisa" interessa acaba por tornar-se marginal, para não dizer desprezível. Vem isto a propósito de um núcleo funcional que ao invés de professar ou ensinar, como é sua obrigação, sobre os vários pontos de vista de uma qualquer razão, opta por perder essa mesma razão tão só porque a defende, unicamente, através da habilidade em a manter equilibrada sobre exacerbados magotes de animados "foliões" (sic)! Ainda não deram conta que os "séquitos" não se medem aos palmos? E mesmo que porventura se medissem e houvesse lugar a uma qualquer hipotética cedência, essa condescendência deveria de imediato cair por terra tão só pelo desplante grosseiro e despolido colocado no já longuíssimo e saturante "livro" de reclamações.

Infelizmente, é com tristeza que se reconhece que existem "classes" que ainda não assimilaram qual é efectivamente a sua missão na sociedade, optando por se envolverem, irremediavelmente, em causas recheadas do mais puro e inócuo vazio de convicções. No entanto, pior que todo este "soneto", só a "emenda" de o Governo poder vir a deixar-se impressionar, senão impressionou já, com a "estuporada" fixação sobre o tamanho da "coisa" e a ser assim não é só a demissão da Ministra que está em causa mas sim a de todo o Executivo de José Sócrates... por assunção do seu “Calcanhar de Aquiles”.

publicado por A. Carvalho às 18:33
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008
AS “ESTAÇÕES” DO ANO

Depois da Primavera do Verão e do Outono... ai está, no seu melhor, a “estação” das discussões estéreis entre o Governo e os Sindicatos sobre os aumentos da Função Pública! Chamar rondas negociais a teatrais reuniões sobre um valor fixado e por norma inalterável (2,9%) é ridículo para os seus intervenientes e frustrante para todos aqueles que há muito se habituaram à inconsequência das mesmas! Isto, porque não existe da parte Sindical, uma disposição para a discussão de propostas justas e equitativas que passariam, por exemplo, pelos aumentos diferenciados entre aqueles que ganham menos e os que ganham mais. Se assim fosse, o Governo manteria o “bolinho” na mesa e os sindicatos, esses arautos da justiça e das causas sociais proporiam a sua divisão conforme as necessidades dos “seus” protegidos. Como não é assim, torna-se vergonhoso, ignóbil, e hipócrita ouvir estas “lapas” falar sobre as desigualdades sociais e sobre o fosso salarial que se aprofunda e alarga na sociedade nacional, em comparação com os restantes países da união europeia.

Manifestações, greves, plenários e outras “jornadas” de luta, para além de empobrecerem ainda mais os que recebem pouco (porque os outros passam ao lado destas “coisas”) apenas contribuem para a débil sobrevivência de uns inúteis Sindicatos desfasados do tempo e da realidade... e esta realidade não é boa para o Governo, porque não tem desafios, não é boa para os cidadãos, porque são iludidos e não é boa para os “incentivadores de massas” que caminham inexoravelmente para a extinção da sua “classe”... sob uma “estação” triste e Invernal (sic).

publicado por A. Carvalho às 14:00
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 3 de Novembro de 2008
MERAS COINCIDÊNCIAS…

Num País onde (em segundos) mandam encerrar tabernas pelo simples motivo de as “iscas de fígado” serem servidas sobre um balcão de madeira e (em minutos) se empacotam “pólos” contrafeitos sob o olhar atento de zelosos e intimidatórios “mascarilhas”, foram precisos quase 5 (cinco) anos para o BPN, Banco Português de Negócios, ver reconhecidas as suas ilicitudes... e ser nacionalizado! Com o exemplo de uma “ASAE” tão solícita e diligente para o negócio dos “comes e bebes” e dos “farrapos”, porque é que não seguiu o “Banco de Portugal” idêntica conduta evitando deixar chegar onde chegou o negócio dos “dinheiros” do BPN? Não lhes bastava os elevados níveis indicadores do crédito mal parado? As elevadas transferências de “prejuízos” para “off-shores”? As suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais? Chegar… era capaz de lhes chegar, não existisse a esperança (irremediavelmente gorada pela crise financeira mundial) de que um qualquer milagre económico viesse “purificar” a instituição da qual o seu Ex-Presidente foi, por mera coincidência, Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais do X Governo constitucional quando era Ministro das Finanças, por mera coincidência, o agora Presidente do BPN e Primeiro-Ministro, por mera coincidência, o actual Presidente da República!

Podem ser só meras coincidências, que o são, é claro… mas com coincidências destas também o “Zé das Iscas” não via ser-lhe fechada, num minuto, a sua tasca, nem o “Manel Cigano” via voar, em segundos, as suas genuínas (?) “Cuticharques” (sic)!

publicado por A. Carvalho às 18:09
link do post | comentar | favorito
.as minhas fotos