.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 30 de Julho de 2007
“HARRY SÓCRATES”

Curvo-me, respeitosamente, perante o discurso de Sua Excelência o primeiro-ministro José Sócrates usado no último debate (?) sobre o estado da Nação bem como na entrevista concedida a um canal televisivo!

Ouvi-o, com atenção, e arrepiei-me perante a humildade de um Homem discreto, trabalhador, empenhado, justo, sério, tocado ao de leve pelo gesto quase imperceptível de um qualquer Deus do Olimpo.

Por momentos pensei no orgulho de uma geração que teve a sorte de nascer num País assim, gerador de homens deste calibre! Cheguei a ter inveja, (esse sentimento tão feio e execrável)!

Apetece esta ironia porque muitos, se calhar muitíssimos, se sentem afastados do tal discurso do optimismo, desenvolvimento, incentivo e modernidade continuando apenas e só esperançados que esta onda positivista que graça no ideal de alguns, poucos, se transforme numa realidade efectiva vivida e sentida por todos

O País retratado por Sócrates apenas existe no seu imaginário e a ser assim ocupa um lugar errado num tempo que nunca foi o seu.

No meio de tudo isto onde cabe Portugal e entram os Portugueses?

(Ou então estou redondamente enganado e todo este País do “faz-de-conta” se desenrola no “Castelo de Hogwarts“ numa trama fertilmente urdida pela mente genial de J.K.Rowling.)

publicado por A. Carvalho às 07:28
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Julho de 2007
APOSENTAÇÕES (por óbito)

Numa sociedade onde a saúde e a dignidade dos cidadãos é cada vez mais vilipendiada, custa a acreditar que estejamos num Portugal do século XXI, 33 anos depois de uma... ilusão!

O que se tem passado com as Juntas Médicas a doentes terminais devia-nos encher de pudor, de vergonha. Um Estado que reduz a saúde e a dignidade a uma tômbola onde se misturam os estados de espírito de dois ou três “carniceiros”, insensíveis, sem alma, com a influente viciação dos dados lançados pelos “jeitos da cunha” não é um Estado democrático: é um (latente) Estado ditatorial, sádico, que regride ao primitivismo da lei do mais forte.

Por este andar, o nosso déficit já não é só económico mas também de moralidade, civismo e cidadania. Não tardará a ser exigido no processo de concessão de Aposentações, Reformas ou outros dos mais elementares direitos do cidadão a obrigatoriedade da Certidão do Óbito... afinal de contas o óbito que há muito tem sido induzido, sem apelo nem agravo, no corpo desta raquítica nação Lusa. 

As causas do mesmo?

- Meta aí de causas naturais. Sempre se evitam chatices (sic).

publicado por A. Carvalho às 07:28
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Julho de 2007
DE VISITA AO ALTIS

Mais de 60% dos Lisboetas preferiu ir lançar simpáticos papagaios de “papel” para a praia em vez de ir dar corda a outras “aves” trepadoras que imitam muito bem a voz humana.

No entanto, quase 40% desses "Alfacinhas", vá-se lá saber porquê, deram corda a essas aves, fizeram-nas atingir o tão apetecível “galho” da Câmara Municipal e deram às de “vila-diogo” não festejando com o António Costa, o inventor do C.U. – Cartão Único, a sua nomeação como Passarão-Mor da Autarquia.

O Costa, abandonado pelo seu Povo e não querendo deixar em mãos alheias a sua alcunha de “MacGyver de Sócrates” resolveu a situação fazendo-se rodear de velhos e velhinhas oriundos de Cabeceiras de Basto que se haviam deslocado à capital para visitar as portas giratórias do Hotel Altis (numa acção integrada - como única explicação plausível - na disciplina de tecnologia da Universidade Sénior Cabeceirense)! Talvez este tenha sido o facto de mais realce num rescaldo eleitoral que termina quase sempre com os habituais discursos dos rotos para os nus (sic)!  

Mas vá lá: embora ilusoriamente, Lisboa está “desenrascada” por mais uns tempos.

publicado por A. Carvalho às 07:43
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Julho de 2007
O COMENDADOR

Justiça seja feita o Senhor José Manuel Rodrigues Berardo (o Comendador), vingou na vida arregaçando as mangas perante as areias auríferas da terra dos “Zulus”. O décimo homem mais rico de Portugal, depois de ter afirmado em 1979 que nunca regressaria à Pátria… regressou. Regressou porque o mundo é grande e a grandeza do Senhor José não era suficientemente grande para sobressair na grandeza desse mundo! Como todos os imigrantes comprou uma Quinta, a da “Bacalhõa”, produz os seus “pipitos” do mais puro néctar e carrega uma pronúncia estrangeirada associada a um português ilhéu, por si só já difícil de entender. Gosta de dar nas vistas e depois de coleccionar caixas de fósforos da “Fosforeira Portuguesa”, dedicou-se à arte moderna e contemporânea.

No fundo, todos os imigrantes são assim: carregam no sangue a saudade da Pátria, do Tinto, do Benfica… e vá lá… de exibirem no tão ansiado regresso o resultado de tantos e árduos anos de trabalho.

Apetece dar-lhe os Parabéns pela inauguração do seu museu no CCB (Centro do Comendador Berardo), num espaço que já foi nosso, o CCB (Centro Cultural de Belém), mas… seguindo o seu exemplo de frontalidade dizer-lhe também que nem todo o burro come palha, mesmo sabendo dar-lha! Felizmente ainda há “burros” determinados, ao contrário de outros “asnos” e “jumentos” que comem o que lhes põem à frente.

publicado por A. Carvalho às 07:32
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 2 de Julho de 2007
AUTOFAGIA

A “novela” Câmara Municipal de Lisboa foi prolongada em demasia com “episódios” desnecessários partilhados por todos os seus intervenientes.

O intuito, apenas e só, o de as “tribos” de interesses envolvidas encontrarem uma aparente base de entendimento de onde ninguém saísse a perder. Essa base de entendimento, não conseguida na Capital, é a que suporta, afinal de contas, muitos outros “enredos” que se desenrolam de norte a sul do País. São “filmes” intermináveis, tipo Manuel de Oliveira, pagos por todos apenas para gáudio de alguns.

As autarquias são hoje instituições que se vão consumindo a elas próprias até um já não longínquo final: por completa inépcia de uma mentalidade de gestão, estes enormes palácios de ilusório poder vão-se confinando cada vez mais ao interior das suas quatro paredes em detrimento das populações, afinal de contas a sua razão de existir.

O apregoado pacote de transferência de competências irá tornar-se não numa fórmula de desenvolvimento mas num processo de criação de arguidos em série, não por má fé mas por pura ignorância (sic).

Já vai sendo tempo de redefinir, primeiro, todos os enrocamentos em que assenta este “mundo nublado” apelidado candidamente de “Poder Local”.
publicado por A. Carvalho às 09:26
link do post | comentar | favorito
.as minhas fotos