.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 26 de Março de 2007
ALLGARVE

ALLGARVE! A nova designação turística atribuída ao Sul do País, surge pelo facto de “all”, em inglês, designar um todo, englobando esse todo tudo o que de melhor o Algarve tem para oferecer ao turista, neste caso, o turista estrangeiro.

A ideia é boa!

Ao Governo e ao Ministro responsável faltou a “elegância” atempada de explicar ao comum dos mortais o porquê de tal decisão, tendo tais palavras vindo posteriormente, já no calor da “discussão”, do responsável pela Empresa promotora do marketing.

Vender o Algarve como ele é conhecido, poderá ter êxito junto do mercado de construtores civis, especuladores e vendedores de guindaste e betoneiras, tendo como principal cartão de visita o nome dos vários autarcas que a pouco e pouco tem “escaqueirado” o muito que a natureza deu de mão beijada.

Para os outros, o Algarve é fastidioso, sujo, cansativo e pé descalço. Por isso, há que inovar. A bem do ALGARVE e do País.

PS: No meio de tantos dislates do tal Ministro e numa forma de englobar todos eles, não seria descabido, também, apelidá-lo inevitavelmente de Manuel “ALLPINHO” (sic).

publicado por A. Carvalho às 07:34
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 19 de Março de 2007
O MONSTRO

Ataque atrás de ataque os portugueses tem sido vítimas de uma fauna tão rica e variada que estão a ficar vencidos, pelo cansaço, de oferecer qualquer resistência a tantas e constantes investidas.

Esmagados fisicamente e destroçados psicologicamente, já não esboçam, sequer, qualquer reacção a tácticas de defesa ou de ataque que possam surgir de uma qualquer oposição face ao descrédito em que a mesma também caiu.

Recentemente, num delírio quase tremens, o Engenheiro Primeiro-Ministro afirmava numa voz fora do normal, baixa e bastante pausada, ter domado um monstro que até agora tinha crescido, crescido, alimentando-se das irregularidades e fraquezas dos comuns mortais: o Monstro da Justiça foi domado, pasme-se, ao fim de dois anos de intenso combate em 0,4% do seu “corpo”!!!

Pelas contas, daqui a 500 anos e caso o tal monstro não se auto regenere, será motivo de orgulho do seu dedicado “tratador”.

À falta de melhor, porque isto, sinceramente, é demasiado fraquinho, mais valia ter cancelado tal “show’crates men”, optando por preservar a cada vez mais degradada imagem da “estrela” e da “companhia”.

Comece a apostar em “mega-produções”, tipo La Féria. Mesmo sem conteúdo, sempre nos deslumbramos com as luzes e o guarda-roupa (sic).

publicado por A. Carvalho às 07:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 12 de Março de 2007
24 “ROSAS”

Não querendo ser um desmancha prazeres na jubilação quase unânime (!) dos dois anos de governação da equipa do Senhor Engenheiro Primeiro Ministro, o facto é que Governar com uma equipa de “coitos interruptus” é desolador pelo facto de as reformas ficarem sempre no limiar da aplicação: Justiça, Educação, Segurança, Saúde, Estado, etc.etc.

O que foi feito afinal de contas de concreto pelo País e pelos Portugueses? Pouco ou nada e esse pouco, a agradecer, será à conjuntura internacional propícia a esta artificial popularidade instalada.

A reconhecer a esta política socialista (?), inegavelmente, está a dieta rigorosa de 24 meses que fez mais pela população que todas essas mistelas de laboratório queimadoras de muitas e muitas gorduras.

Os cidadãos estão mais atraentes. Perderam “pneu”, “banha”, “emagreceram” e “emagrecem” a olhos vistos prosseguindo rumo a uma inevitável “anorexia” que poderá ser fatal para muitos milhares deles.

Mas, isso agora não interessa para nada porque o fascínio ilusório pela “passerelle” nos faz convencer que “gordura não é formosura” e o “nosso” Sócrates, afinal de contas, é um predestinado para estas andanças da “moda” sabendo aproveitar ao máximo as “luzes da ribalta”. É que a carreira de “modelo”, ao contrário da de um grande político, é deveras curta e de elevado risco (sic)!

publicado por A. Carvalho às 07:26
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 5 de Março de 2007
CHAPÉUS HÁ MUITOS

A sintomatologia deste pequeno País é definida por situações que em qualquer outro lugar apenas teriam exibição em programas recreativos, daqueles que dizem ser “uma espécie de magazine”!

O caso do Senhor Paulo Macedo (Contribuições e Impostos) é exemplar.

O homem ganha bem porque trabalha muito, ou trabalha muito porque ganha bem?

Se ganha bem porque trabalha muito, sigamos o seu exemplo de trabalho e dedicação assumindo o Estado a sua quota-parte na devida remuneração a todos nós.

Se trabalha muito porque ganha bem então é o exemplo de que o País nunca será produtivo face às esmolas mensais que paga aos seus trabalhadores.

É de desconfiar quando a sublimação do mito parte de todos os quadrantes políticos da sociedade: o unanimismo, ao contrário dos estados psíquicos individuais, raramente gera “coisas” saudáveis!

Porque será que em Portugal temos invariavelmente, de tempos a tempos, de criar estes falsos mitos providenciais?
publicado por A. Carvalho às 07:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
.as minhas fotos