.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 25 de Dezembro de 2006
O CLIMAX

No inconsciente, inexplicável, do erótico, Maria José Morgado é uma mulher que poderá vir a aquecer os preliminares de um acto que, até à data, tem sido desmotivante, desacreditado e por isso maçador.

Com esta nomeação, apesar de as leis não terem mudado, espera-se que o “leito” da Justiça se transforme numa enorme orgia de acusações, defesas e ilibações que acabem de uma vez com as esfarrapadas desculpas das “dores de cabeça” que o mundo do futebol, na penumbra, acarreta para políticos e poder judicial.

Com a fasquia colocada já num patamar tão elevado, a sua mais pequena “abundância prematura” de palavras poderá arruinar o namoro de ódio desta paixão há muito desavinda (Maria José versus corrupção desportiva).

A excitação (laboral, entenda-se) conhecida à distinta Jurista é demasiado alta para os brandos costumes a que estamos habituados pelo que a pergunta surge com a maior naturalidade:

- Conseguirá ela atingir o “clímax” do Processo Apito Dourado?
publicado por A. Carvalho às 19:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2006
“EU, (POBRE) PORTUGAL”

De tempos a tempos surgem histórias de gente que não caiu nas graças da implacável e ingrata vida. Elas são vítimas de confusos emaranhados de interesses, de tuberculose ou de “bicos de papagaio” fruto de noites mal dormidas em camas (muitas) mal enxergadas.

Mas há excepções (sic)! Folhear  o “Eu, Carolina” é deixarmo-nos envolver pelo toque da escrita refinada, pela ânsia da surpresa no virar da página e pelas íntimas palavras de amor que a autora, sentidamente, partilha com o leitor.

De toda a obra retenho a eloquência de uma frase deixada num guardanapo de papel em momento, julgo, de fervilhante paixão:

“Giorgio Love Carolina”.

Inconscientemente regresso ao Woodstock, a Vilar de Mouros, a toda uma vivência de paz e amor… para de imediato e sem sobressalto ser confrontado com as descrições da arrependida violência na pele da cândida e virginal personagem do Senhor Dr. Bexigas.

Raros os mortais a quem os superiores deuses da escrita permitem, assim, deixar discorrer a pena!

Á Carolina Salgado que no “Calor da Noite” alternou com muitas e muitas paixões tórridas de influentes e conhecidos “Alves dos Reis” pede-se o discernimento necessário para partilhar com os seus fiéis leitores mais pedaços da história deste (pobre) Portugal.
publicado por A. Carvalho às 07:36
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2006
“CAMARATÉRIX”

Vinte e seis anos depois, intercalados com milhares de comissões de inquérito, pareceres e estudos, o tema “CAMARATE” continua a ser uma brasa que teima em reavivar de tempos a tempos.

Faltava agora o “Sô Zé” assumir publicamente o fabrico da bomba de “percevejos” de Carnaval que alguém posteriormente transformou em bomba de fumo e que outras sanguinárias mãos converteram na definitiva bomba explosiva!!! A ele apenas foi pedido que assustasse a cabine de pilotagem e obrigasse o “Cessna” a uma aterragem de emergência.

Perante tão importante confissão de pessoa “influente” nos destinos nacionais, as proeminentes sapiências da autoridade curvaram-se ao ridículo e alimentaram a fome de tal “bigorrilha” por parangonas de jornais, holofotes e câmaras de televisão.

Que poderemos esperar de um Estado que, ao mais alto nível, não soube investigar, esclarecer, julgar e arquivar o Processo que originou a morte de um Primeiro-Ministro e de um Ministro da Defesa?

Daqui a tempos, quando surgir um novo apetite devorador no íntimo da dita personagem, outra “estória” virá a público para, candidamente, envergonhar a desavergonhada Justiça Portuguesa.

Fugindo um pouco à seríssima realidade do assunto quase apetece dizer que, aproveitando um prólogo de todos conhecido (Camarate), cada qual vai divergindo a seu bel-prazer para “estórias” que lhe preencham melhor o imaginário de tal urdidura: no fundo, no fundo, como nas histórias do Astérix! 

publicado por A. Carvalho às 07:39
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 4 de Dezembro de 2006
O SANTINHO

Transformando as normalidades em anormalidades vamos sendo constantemente confrontados com possíveis “visões” do fim do mundo.

Ou é porque vai chover muito, ou o vento vai soprar fortíssimo, ou uma vaga de frio vai originar fortes geadas que por sua vez vão originar acidentes rodoviários… e por aí fora.

Para a nossa Protecção Civil o planeta Terra foi descoberto ontem e cada dia que passa é uma novidade deslumbrante aos seus olhos! O Inverno ser uma “estação” de chuva, de frio e de gelo, é qualquer coisa de transcendente para estes “especialistas” da matéria.

Assim, de cada vez que aparece nos telejornais aquela figura bonacheirona do Comandante Gil Martins, a única coisa que me vem à “cabeça” é a imagem da Senhora de Fátima, “encarnada” naquelas simpáticas estatuetas que conforme o grau de humidade do ar mudam constantemente de cor. Destapando a “cataplana” na cozinha”… todos os aposentos entram em alerta máxima para a ameaça de chuvas (sic)!!!

Com a mesma facilidade, o simpático Senhor põe o País a Verde, a Amarelo, ou a Laranja, numa pintura já tão surrealista que descredibiliza uma qualquer anormalidade que eventualmente venha a acontecer.

Que saudades do Senhor Antímio de Azevedo!
publicado por A. Carvalho às 07:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
.as minhas fotos