.posts recentes

. O “GLORIOSO” CENTENO

. A MÃO DE DEUS

. A “EPITETIZAÇÃO” DA COISA

. “O CANHÃO DE S.BENTO”

. PORTAS… COMUNICANTES

. OS SEGREDOS DA TIA CÁTIA

. NASCIDOS PARA MANDAR

. ANASTÁCIOS E BARATAS

. ELES VOAR, VOAM… MAS MUIT...

. VAMOS PÔ-LOS NO LUGAR

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2017

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Abril 2015

. Julho 2014

. Fevereiro 2014

. Julho 2013

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds
Segunda-feira, 26 de Junho de 2006
O MOSCO

Muitos se interrogam sobre o interminável estado de graça da Tribo Governativa. Os Portugueses renderam-se ás representações um tanto ou quanto teatrais do seu Chefe de Grupo. Uns, olham-no como um qualquer Major Alvega, herói de tantas e tantas bandas desenhadas. Outros, vêem-no como um excêntrico, lunático e teimoso Howards Hugs, também ele aviador. Para alguns, os mais cépticos, ele é simplesmente… o Mosco!

Reacções estranhas, estas!!! Mas, afinal, o que leva a dar o benefício da dúvida a tão singular personagem?

Sócrates caiu no lugar de Primeiro-Ministro de forma rápida e imprevisível. Não se deu demasiada importância ao facto. Era apenas e só mais um “mosco” a cair num enorme e repetitivo prato de sopa político. No entanto, após a insípida queda, este “insecto” levantou voo e começou a fazer piruetas um tanto ou quanto arriscadas em consomés, vichisoises e gaspachos de fino trato. O Zé-Povinho, apesar de enjoado com a sua insossa sopa, começou a achar graça ao “mosco”! Ele faz loopings em “pratos” até aqui julgados inacessíveis ao comum dos mortais. As passagens rasantes na Justiça, na Educação, nas Polícias, na Saúde, nas Finanças e em tantas outras “faianças” do género granjearam-lhe as simpatias de diversos quadrantes.

Quase todos admiram a persistência deste insecto díptero, o que, nos dias que correm, é uma qualidade que o distingue dos demais.

Deve ser daqui que nasce o inexplicável carisma (do “mosco”)!

Até quando… ninguém sabe!
publicado por A. Carvalho às 07:50
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Segunda-feira, 19 de Junho de 2006
REDASSÃO, Os Provezores

Eu gósto munto dos Senhores Provezores. São eles que fazem um sacrifíssio inorme para nus ensinarem o pouco que sabem. O meu Provezor explicame o que é um Sindiqato, o que é uma Greve e como devo fazer para aproveitar os friados e com eles saber comstruir muntas Ponteses. O meu Provessor é um brucho porque eu nunca disse a ninguém mesmo o que queria ser quando for grande: mas ele já sabe que eu quero ser Engenhairo Cevil para construir muitas Ponteses!

Eu tenho muita pena dele e da sua da famílea. A espoza é munto duente, os filhos são munto duentes, a sogra tem ataques espiléticos e o sougro cirrose tinta. Os pais são aleijedinhos, couitadinhos, e é o meu Provezor que tem de estar sempre a faltar para lhes dar o apoio que precizam. Há meses intairinhos que nós não vemos o nosso Profezor: é a Senhoura  Auxeliar que nos diz que ele já está Atestado, o póbrezito. Às vezes cuando aparese está munto caimadinho do sole. Se calhar é de travalhar munto na quinta para sustentar a famílea.

Os Senhores Provezores são os nossos cegundos pais porque nós estamos mais tempo na escola duque em casa; isto não quere dizere que tenhamos mais aulas. Mas eu intendo, porque para além das duenças todas, eles também tem de lutare contra os homens e as mulheres más de Lisboua e para isso eles fasem muntas runiões.

Já me esquessia: o meu Provezor também me ensina a esqrever.

Eu gosto munto do meu Provezor.
publicado por A. Carvalho às 07:09
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 12 de Junho de 2006
DRIBLES

Ambicionar atingir os lugares cimeiros de um qualquer torneio de futebol só é possível com uma equipa motivada dentro e fora do campo. Um grupo de jogadores pouco habilidosos, por mais que treinem, por mais palestras de balneário que escutem, nunca irão saborear o prazer do pódio. Esta realidade aplica-se ao futebol e a um sem número mais de “tarefas” que envolvam competitividade.

Os Portugueses há muito que anseiam por uma vitória. No entanto não estão minimamente motivados para lutar por essa vitória. Somos um grupo de aspirantes a “jogadores” integrados geograficamente num campeonato superior à realidade. Habituados a treinadores de “divisões de honra” e das suas palestras da treta, vamos dando uns toques na bola quiçá na esperança de que um qualquer “Abramovich” venha a adquirir uma equipa de peritos em “dribles duvidosos” e “foras de jogo crónicos”.

Num relvado remendado e ressequido pelo tempo, “prognósticos, só no fim do jogo” porque os relatórios dos “seleccionadores” não têm sido nada abonatórios para a “causa”.

publicado por A. Carvalho às 07:14
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 5 de Junho de 2006
OPINION MAKER

Criámos o curioso hábito de seleccionar cuidadosamente o comentador político-económico que faz o nosso gosto. Isto é, um “opinion maker” que diz apenas o que nós queremos ouvir. Há-os de todos os géneros, de todos os feitios… para todos os gostos. O meu fraquinho pelo sexo oposto direcciona-me os tímpanos para a Sra. D. Constança.

Aquilo sim, é uma comentadora com eles no sítio (os microfones).

Depois, enquanto o jantar vai assentando que nem uma luva, encho a peitaça de ar e faço a minha análise político-económica diária ali mesmo, ao balcão do Bar da esquina, imaginando-me em S.Bento, na companhia de um cimbalino com cheirinho, do “paxá” do 2º.Drt. e da “sonsa” do R/C.

É que a seguir é mais um dia de trabalho e a política nacional já não passa sem os “bitaites” alvitrados pelo vulgar cidadão comum! Hábitos.

publicado por A. Carvalho às 07:35
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
.as minhas fotos